• Administrando a Vida
  • Como elaborar um currículo – Item por item

    Imagem

    Muitas vezes, quando vamos elaborar nosso currículo, surgem algumas dúvidas sobre o que se coloca em cada um dos itens. Há variações em modelos, mas, de modo geral, já vimos no post Como elaborar um currículo – Dicas, que há um padrão a ser respeitado, que considera itens essenciais, como os que veremos à seguir:

    1- Cabeçalho/ Dados Pessoais:

    Destaque seu nome completo, a primeira informação que o selecionador irá ver. Use uma fonte um pouco maior que a do corpo do texto, e/ou use negrito, e/ou use caixa alta. Faça testes e veja qual a forma fica mais agradável visualmente, sempre focando na estética. O mesmo vale para todas as outras informações.

    Abaixo de seu nome, coloque endereço, telefone, endereço de e-mail. Acrescente idade ou data de nascimento e estado civil. Particularmente, gosto de colocar “sem filhos” ou “n° de filhos”, por achar que facilita na hora da entrevista, mas é um gosto meu, fica ao seu critério. Particularmente, também, prefiro colocar a idade ao invés da data de nascimento, pois penso que facilita para o selecionador, o que também é uma questão de gosto. 

    Se você decidir colocar foto, é próximo a este campo que ela deve ficar, à esquerda, ao meio ou à direita, como preferir. Sugiro foto centralizada ao meio para currículo de primeiro emprego ou com poucas informações. A foto precisa ser colorida, no formato e estilo 3×4. Nada de recortar foto de rede social, e nada de selfie fazendo “carão”. Lembre-se de passar a imagem de seriedade e profissionalismo. A impressão deve ser excelente para não prejudicar a estética, então, certifique-se de colocar foto apenas quando necessário, vise a economia e a sustentabilidade ambiental.

    2 Perfil:

    Uma breve apresentação sobre você. Breve mesmo, no máximo três linhas, não precisa colocar título como perfil ou apresentação. Pode usar uma fonte diferente ou um efeito itálico, ou um tamanho de fonte diferente para diferenciar dos demais campos. O que dizer nessas linhas? Bom, imagine que um amigo está lhe apresentando para esse empregador e diga algo que sintetize seu currículo. Gosto de pensar em uma palavra ou uma expressão para o campo formação e para o campo experiência, incluindo informações que não estão explícitas no corpo do currículo, o que é ótimo para quem precisou resumir informações, como dissemos anteriormente. Enrolei muito, rsrs? Difícil explicar, pois é o campo mais personalizado e é a “cereja do bolo”,  já que muitos não apresentam esse campo, mas vou tentar explicar melhor:

    Uma palavra/expressão para formação: Qual sua profissão? Pedagogo, Técnico em Administração, Jornalista especialista em (pós-graduado). 

    Uma palavra/expressão para experiência profissional: Mesmo no caso de quem não tem formação técnica ou acadêmica, tem uma profissão? Trabalhou muitos anos como (profissão exercida) e aí já acrescentamos números como quantos anos em “tal” profissão, ou em “tal” ramo ou área. Ou trabalhou em várias empresas do setor “tal”, como: (citar nome das empresas que não aparecerão no campo experiências profissionais no caso de quem tem mais de três empresas na bagagem). 

    Outra dica é finalizar enfatizando um requisito do perfil da vaga: Se a empresa divulgou desejável “inglês fluente”, mesmo que no campo cursos você mencione seu curso de inglês, no campo perfil você pode enfatizar “morou em Nova York por seis meses em (Ano)”, assim reforça que você tem o que a empresa deseja. Se for verdade, é claro! Como já vimos por aqui.

    Uma última dica é procurar colocar nesse campo aquele pensamento que te motivou a candidatar-se a vaga, ao tomar conhecimento dela e perceber que preenche os requisitos. Exemplo: Disponibilidade para viajar em veículo próprio era um requisito e isso é algo que você curte num emprego? Coloque em seu perfil: possui veículo próprio e disponibilidade para viagens, mesmo que essa informação seja comum no campo outras informações, nesse caso é a informação que une seu perfil ao perfil que a empresa espera.

    3 Objetivo:

    Ao contrário dos dois itens anteriores, nesse caso o título Objetivo é mencionado, assim como todos os demais títulos daqui em diante. À frente, ou abaixo do título, como preferir considerando a estética e mantendo o padrão de formatação, deve se colocar, em poucas palavras algo que responda: “Qual o seu objetivo de emprego?” “Qual vaga procura? Seja claro e coloque algo simples, como, por exemplo: “Trabalhar como Assistente Administrativo” ou “Atuar como Vendedor Externo”, colocando, de fato, em que você pretende trabalhar. Se você tem condições de exercer mais de uma função, faça vários currículos mudando apenas o campo objetivo,  assim você pode direcionar seu currículo para cada vaga ofertada. Seja específico, o selecionador precisa saber se o que você quer corresponde com a vaga ofertada. Já tive oportunidade de receber muitos currículos com objetivos vagos, como por exemplo: “contribuir com a empresa agregando valor através do trabalho desenvolvido, demonstrando ao máximo meu potencial”. Notem que na expressão anterior não dá para saber qual vaga o candidato deseja concorrer, ficou vago, e esse erro é muito comum. Sendo específico você facilita o trabalho de triagem do selecionador e já se diferencia de muitos candidatos.

    4 – Formação

    Particularmente, acho que o termo formação soa melhor que o termo escolaridade, pois pressupõe algo além do ensino médio, como formação técnica e superior. O padrão é decrescente, da última formação para a primeira, sendo que:

    Quem tem curso superior: lista de forma decrescente os estudos até a faculdade, não havendo necessidade de citar o ensino médio.

    Quem tem curso técnico ou tecnólogo: lista antes (abaixo) da faculdade, se for o caso. Se não for o caso, lista após (acima) do ensino médio.

    Quem tem escolaridade até o ensino médio, vai listar o máximo de escolaridade que tem, seja o ensino fundamental ou seja saber ler e escrever. 

    Você deve estar pensando que é óbvio, mas garanto que não. Às vezes a pessoa fica na dúvida e lista tudo sendo que não há necessidade, já recebi currículos assim. Também é comum a pessoa listar outros cursos profissionalizantes que cabem em outro campo, aqui só se coloca a formação superior, técnica ou ensino escolar convencional.

    Quanto as informações a serem colocadas, as essenciais são: nome do curso, nome da instituição de ensino, cidade-estado, ano de conclusão, ou previsão de conclusão, ou a expressão cursando e o período/módulo/série que se está cursando ou o termo incompleto caso tenho interrompido os estudos. Não existe uma ordem para as informações, mas novamente vou falar do padrão: se for citar mais de um curso, manter a mesma sequência das informações.

    Uma dica para quem está estudando e buscando emprego é acrescentar entre parênteses a informação do turno em que estuda, isso facilita se o horário de trabalho da vaga for diurno e você estudar no período noturno, assim você não corre o risco do selecionador descartar seu currículo por falta de informação. O mesmo é válido se você faz um curso na modalidade EAD ou na modalidade semi-presencial, é importante citar essa informação. Além disso, no último campo “Outras Informações” ou Informações Adicionais”, pode acrescentar o período de disponibilidade de horário.

    5 – Experiência

    Aqui temos como regra listar, do mais recente para o anterior, os três últimos empregos. No caso de não ter passado por três empregos, liste os quais passou. No caso de não ter passado por nenhum, sugiro usar a expressão “em busca do primeiro emprego” ou algo parecido. Quem tem mais de três experiências, pode ao invés de listar as três últimas, listar as três principais, ou as três que mais se correlacionam com a vaga que se busca. Em todos os casos, as experiências não colocadas aqui podem ser mencionadas ou apenas consideradas numa soma de tempo de serviço no campo perfil. Vale lembrar que é uma regra, e tem suas exceções. Há áreas em que toda experiência é válida e pode ser citada e há perfis profissionais que trabalham em várias empresas ao longo da carreira, então fica à seu critério definir quantas experiências colocar, cuidando para que se seu currículo não fique extenso demais.

    Quanto as informações a serem colocadas: Nome da empresa, cidade, cargo, data de admissão e demissão. Se ainda trabalha coloque a data de admissão e o termo “a atualmente” ou coloque apenas “desde” e a data de admissão.

    6 – Cursos

    Liste os cursos que você fez, se você tem poucos cursos liste todos. Se tem muitos cursos e não dá para listar todos, opte por listar os que estão relacionados com a vaga que você almeja. Também pode optar por listar os que fez nos últimos cinco anos ou os que são mais relevantes, que tem maior carga horária, por exemplo.

    7 – Informações Adicionais

    Você pode criar esse campo no seu currículo se tem algo que você gostaria de colocar e que não cabe em outro campo. É comum nesse campo vermos informações como: disponibilidade para viagens, ou carteira de habilitação, ou carteira profissional no caso de profissionais liberais. Uma dica é colocar aqui informações que você sabe que são relevantes para vaga mas que não se encaixaram em outro item. 

    Share Button

    Deixe uma resposta