• Vida Profissional
  • Como elaborar um currículo – Dicas

    Imagem

    Muitas pessoas tem dúvidas de como elaborar um currículo, item essencial para quem quer encontrar um novo emprego. Em poucas palavras, um currículo é um documento que descreve a sua trajetória de vida em relação aos seus estudos e suas experiências profissionais.

    Para elaborar um currículo é preciso seguir alguns critérios, como, basicamente, manter um padrão de organização dos dados e a estética. Por isso separei algumas dicas para quem deseja elaborar um currículo adequado:

    1 – Crie o seu próprio modelo:

    A maioria dos candidatos a emprego peca ao apresentar um currículo baseado num modelo que buscou no google. Sei que você já deve ter feito isso (eu também já fiz) e o primeiro passo é, de fato, buscar um modelo de currículo para usar como base para criar o seu, tanto que vou deixar alguns modelos disponíveis aqui no blog. O erro está em preencher o primeiro modelo que encontrou, sem mudar nem o tipo da fonte, por exemplo. Desta forma, você corre o risco de entregar à empresa um currículo muito parecido, ou até mesmo igual esteticamente a de muitos outros candidatos. A empresa pode entender que você digitou “modelo de currículo” no google e nem se deu ao trabalho de buscar mais de uma opção, apenas preencheu o primeiro modelo que apareceu no resultado da busca. Ou a empresa pode nem selecionar seu currículo porque não chamou a atenção, não se diferenciou dos demais. Minha dica então é pesquisar por vários modelos, selecionar alguns que mais gostar e tê-los como base para criar o seu, não mexendo no que é padrão, mas dando seus toques pessoais para se diferenciar dos demais candidatos.

    2 – Observe a formatação:

    A regra aqui é: quanto mais formal é o emprego que você busca, mais tradicional deve ser seu currículo. Se você pretende trabalhar num emprego que lida com criatividade, como as áreas de marketing, publicidade e propaganda, por exemplo, creio que tudo bem ser um pouco criativo na formatação de seu currículo. Vale um toque de cor, um design diferenciado. Do contrário, se pretende trabalhar numa instituição financeira, o ideal é seguir o padrão tradicional e apresentar uma formatação com uma fonte clássica, na cor preta. Para saber, basta focar na empresa que deseje trabalhar e alinhar seu currículo com o estilo dela. O tamanho da fonte, bem como margens e espaçamentos devem ser ajustados para caber na folha e facilitar a leitura do selecionador. A quantidade de folhas é no máximo duas. Se seu currículo for muito extenso, além dos ajustes de margens, espaçamentos e tamanho da fonte, resuma a quantidade de informações, apresentando apenas seus três últimos empregos, os cursos realizados nos últimos cinco anos e opte por ressaltar informações de acordo com a vaga pretendida. (Veja o post modelo de currículo para quem tem muita experiência).

    3 – Capriche na estética:

    Um currículo bonito chama mais a atenção dos selecionadores. Para isso, ele precisa estar apresentável, nada de amassados, rasuras, falhas de impressão, marcas de manuseio das mãos ou dobras no papel. É um documento, é seu cartão de visitas. Por isso, capriche na formatação e na estética em geral, visualize na tela antes de imprimir, passe o corretor ortográfico (erros de português são inaceitáveis) e faça ajustes se for preciso. Manuseie-o com cuidado, mantenha-o numa pasta antes de entregá-lo em mãos. Não entregue em envelopes, exceto se a empresa solicitar ou exigir, nesse caso o envelope também precisa estar apresentável. Se dobrar for inevitável, faça dobras em três partes, como se fosse uma carta, lembrando que não é o ideal mas não é tão ruim quanto amassado ou dobrado de qualquer jeito. A prova de que seu currículo é apresentável é olhar para ele e achá-lo lindo! Se você não acha, provavelmente o selecionador também não vai achar.

    4 – Colocar ou não colocar foto?

    Regra geral, não se coloca foto no currículo. A foto caiu em desuso há muitos anos, junto com: o título currículo, a capa, a assinatura, a data e números de documentos. Antigamente a foto 3X4 e os números dos documentos facilitavam os processos de admissão e a foto já era aproveitada para a possível contratação. Hoje em dia, enviar um currículo não significa contratação imediata (quem nos dera, né, Brasil?!), portanto a foto que seria aproveitada pelo departamento pessoal não é necessária. Então, porque a dúvida de colocar a foto ou não? As empresas não dizem, por questões éticas, mas a verdade é que a aparência pessoal para alguns empregos conta sim. Então minha dica é a seguinte: procure saber se a empresa para qual deseja trabalhar solicita ou prefere foto. Se almejar um cargo onde você vai lidar com o público, como funções de atendente ou recepcionista, por exemplo, coloque foto. Em outros casos, se a empresa não faz questão de fotos ou se não for cargo que lida diretamente com o público, não coloque a foto.

    5 – Respeite e siga os padrões:

    Basicamente, um bom currículo apresenta os seguintes campos: Cabeçalho/Dados Pessoais, Perfil, Objetivo, Formação Acadêmica, Experiência Profissional, Cursos Complementares, Outras Informações. Não existe um consenso sobre esse assunto, então nosso parâmetro é o usual, considerando que existem vários tipos de acordo com a realidade do candidato. A dica é seguir a ordem apresentada dos itens, e descrever os dados em ordem cronológica decrescente (do último curso para o anterior limitando-se aos últimos 5 anos, do último emprego para o primeiro, limitando-se aos três últimos empregos ou aos três mais afins com a vaga pretendida). No próximo post veremos mais um pouco sobre cada campo, ok?

    6 – Coloque informações verdadeiras e não exagere:

    Essa dica é com relação ao conteúdo, sobre as informações que você vai colocar no seu currículo. É simples, coloque só o que é verdade, sem exageros. Consulte sua documentação como certificados de cursos, carteira de trabalho e contratos para conferir datas e outros dados importantes. Não caia na armadilha de que o papel aceita tudo, lembre-se que, se você for chamado para uma entrevista de emprego futuramente, terá que comprovar informações que foram colocadas no seu currículo.  Quanto aos exageros, se você fez um curso de inglês básico, por exemplo, não exagere com a informação do tipo “inglês fluente”, pois o entrevistador poderá estabelecer com você um diálogo em inglês, testando sua fluência no idioma.

    Espero que essas dicas o ajude a elaborar um bom currículo. Se quiser saber um pouco mais veja os próximos posts!

    Até mais!

     

    Share Button

    Deixe uma resposta