• Vida Empreendedora
  • Minha Experiência com o Empretec – Parte 2

    No post anterior comecei a contar minha experiência com o Empretec, falei do sonho que eu tinha de fazer o curso e contei como foi finalmente conseguir ser selecionada para participar do Empretec em 2015. 

    Passei na entrevista, a empresa autorizou minha participação, me organizei para estar inteiramente disponível para participar do curso, o curso cercado de mistérios.

    Quero contar como foi minha experiência com o curso expressando minha opinião, minha expectativa e minha vivência. Acredito ser uma experiência única e bem particular para cada um, e, convenhamos que informações neutras sobre o Empretec podemos achar com facilidade na internet.

    Minha expectativa era alta, pois além de ser um sonho, sempre ouvi depoimentos positivos, dizendo que o curso é muito bom. Ao fim do curso posso dizer que minha expectativa foi satisfeita, mas não superada, tive minhas decepções com alguns pontos negativos. Mas teve pontos positivos sim, só de nos abrirmos ao aprendizado, ao novo já é algo bem positivo, e foram mais pontos positivos que negativos.

    O aprendizado, sem dúvidas, é muito bom. Digo muito bom, não ótimo ou excelente. As características empreendedoras são bem trabalhadas, como promete o objetivo do curso, mas não acho que seja o suficiente para transformar o negócio ou a vida, como também promete o objetivo do curso. Acho que para transformar o negócio não basta empreendedorismo, conhecimento administrativo é fundamental. Administração é para administrador.

    Os facilitadores são excelentes. Profissionais qualificados, demonstram domínio pleno do conteúdo que ministram. Como são uma equipe, é provável se identificar mais com um do que com outro devido a personalidade de cada um. Há quem reclame que um deles é mais bravo no sentido de ser mais firme, mais rígido, mas penso que faz parte, alguém na equipe tem que ser. Cada qual tem seu papel dentro da equipe e isso fica bem evidente.

    O desenrolar do curso é bem legal, não posso falar muito sobre o que acontece na dinâmica do curso, mas garanto que não há nada fora do normal, não há o que temer. Digo isso, pois, eu senti medo no início, por alguns ex participantes ficarem falando  que não podem contar o que acontece lá dentro. Nada demais, na minha opinião.

    Além do mistério associado ao Empretec que é um mito, há outros mitos. Quando eu comentava com as pessoas que eu ia participar do seminário, ouvi coisas do tipo:

    • Durma bastante antes, você não vai dormir!
    • Prepare-se para enlouquecer, pois eu fiquei louco!
    • Você vai deixar o emprego? Vai abrir uma empresa?
    • Foi um divisor de águas na minha vida, sou outra pessoa depois do curso!
    • Eu dormi, dificilmente algo me tira o sono, graças à Deus.
    • Eu não fiquei louca, não sou muito normal, mas pirar por conta de um curso de 60 horas não pirei.
    • Não pretendia deixar o emprego e não o deixei. Não pretendia abrir uma empresa e não abri.
    • Não foi um divisor de águas na minha vida. Na semana seguinte tudo voltou ao normal. Não sou outra pessoa, sou a mesma porém com mais conhecimento e mais uma experiência.

    O que quero dizer é que cada um tem uma experiência única e particular e é preciso filtrar bem alguns comentários. Como quando se é noivo e alguém casado ou separado vem dizer que “casamento é muito difícil ou muito ruim”. Cada casal vai ter sua experiência única, pode ser fácil, pode ser boa, não podemos generalizar.

    Ainda falando dos comentários sobre minha participação, fiquei intrigada com o fato de que como algumas pessoas pobres de espírito (desculpe a expressão mas foi o que pensei, sinceramente) supervalorizam cargos, status, títulos e certificados e, estranhamente, crachás de seminários. Pessoas que já me conheciam mas só passaram a me cumprimentar ou falar comigo depois que fiz Empretec. Digo isso, pois penso que precisamos valorizar as pessoas independente da posição, da função, ou de qualquer coisa. Ouvi coisas do tipo: “Não sabia que você era empreendedora!” 

    Gente, não é um crachá ou um certificado de Empretec que prova que alguém é empreendedor não… Onde está escrito que só é empreendedor quem faz esse curso?! Será que só na minha cidade tem essa mentalidade pobre?(#desabafo) 

    E por falar em cidade, algo que ficou bem nítido no seminário foi a cultura local. A maioria dos participantes eram empresários e homens, algo bem característico do empresariado da cidade mesmo. Eu estava fora do padrão e isso só reforçou meu pensamento de que nós mulheres precisamos nos aventurar mais no empreendedorismo e sermos mais valorizadas. Por vezes observei que a interação ficava entre os homens e que as mulheres não eram ouvidas. Tive oportunidade de partilhar isso com colegas mulheres participantes que também tiveram essa percepção.

    Fato é que os seis dias são bem intensos, não dá para ter rotina. O ideal é ficar por conta mesmo, se possível tirar licença ou férias no período. Para quem é autônomo o ideal é delegar para pessoas de confiança a execução de seus serviços e orientá-las a evitar ligações e envio de mensagens e e-mails que não sejam de extrema importância e urgência.

    Sabe aquela vibe quando você sai animado de um evento de motivação? Então, não pude aproveitar o “empoderamento” pós Empretec, pois voltei imediatamente para minhas atividades que estavam um pouco acumuladas. Então além de trabalhar, estudar e cuidar das tarefas pessoais rotineiras, tive que correr para por a pós graduação em dia, preparar as aulas, o resto aos poucos fui ajeitando. Digo isso por dois motivos: um para dizer que basta manter a calma que a vida vai voltar ao normal aos poucos, e outro para dizer que, se você puder, folgue mais uns dias depois do curso para colocar as novas ideias em ordem. Combine em seu trabalho e organize-se. Por isso disse antes que o ideal é tirar férias ou licença. Eu gostaria de ter parado uns dias, mas não quis pedir na empresa, pois já estava bastante grata por ter liberado meus dias de trabalho e ter arcado com custos da inscrição. Quanto a pós, não pude parar, adiantei o que pude e acelerei quando retomei os estudos. 

    Bom, espero ter ajudado alguém sem dar spoiler do evento! O objetivo não era revelar detalhes sigilosos, mas acalmar corações que queiram fazer o curso: Se joguem, não há o que temer, vocês não vão ficar loucos! 😉 

    Até mais!

    P.S: Não serão divulgados comentários que revelem sobre o evento, por questões éticas.

     

     

    Share Button

    Deixe uma resposta