• Vida Empreendedora
  • Minha Experiência com o Empretec – Parte 1

    empretec-administrando-a-vida

    Imagem

    Hoje resolvi contar neste post um pouco da minha experiência com o Empretec e, mesmo que você não se interesse pelo assunto, gostaria que lê-se o post, pois falo de sonhos e de perseverança.

    Segundo o SEBRAE Minas “O Empretec é um seminário com duração de seis dias desenvolvido pela Organização das Nações Unidas (ONU), promovido em 34 países. Aqui no Brasil, ele é ministrado exclusivamente pelo Sebrae.” Nesses seis dias de atividades intensas, o participante precisa ter total disponibilidade para se dedicar ao curso, sendo necessário se ausentar do trabalho e se desligar de qualquer outro compromisso como escola, faculdade ou tarefa pessoal.

    Em 2004 eu ouvi falar desse curso pela primeira vez. Eu trabalhava como auxiliar administrativa, adorava participar de palestras e cursos profissionalizantes e já estava decidida a cursar a faculdade de Administração no ano seguinte. Desde então eu comecei a sonhar em fazer o Empretec, não coloquei como meta na época pois não era SMART (específica, mensurável, atingível, relevante e temporal), eu dependia de vários fatores para realizar esta meta como tempo disponível e recurso financeiro para pagar a inscrição. Cada vez que ele era oferecido em minha cidade, o que não ocorria todo ano, eu me perguntava se era a hora de fazê-lo e chegava a conclusão que ainda não era o momento ideal. 

    Os anos foram passando e em 2011 cheguei a preencher a ficha de inscrição mas não fui selecionada para a entrevista. A empresa que eu trabalhava iria me liberar de minhas atividades e custear o curso para mim, o que era uma ótima oportunidade. No entanto, como não passei, não pude aproveitar essa chance.

    Não tenho vergonha de contar que não passei, muito pelo contrário, faço questão de falar para mostrar,  para quem deseja fazer o curso, que isso pode acontecer e que não é o fim do mundo. Eu já tinha visto alguns amigos chorar por não ter passado e já tinha ouvido falar que muitos choram quando não passam, mas comigo isso não aconteceu. Claro que fiquei um pouco triste num primeiro momento, pois era uma chance e tanto e poderia não ter outra. Mas não havia nada a fazer e procurei ver o lado positivo: eu estava noiva e me casaria em poucos meses, além de estar envolvida num projeto importante do trabalho (já contei um pouco aqui) – essas sim eram chances únicas e minhas prioridades naquele momento.

    Em 2015 surgiu uma nova oportunidade também oferecida e custeada pela empresa. Na verdade, era para um colega de trabalho que não quis, então fui segunda opção, já que ele não queria ir ofereceram a vaga para mim. Trabalhando, casada, fazendo pós-graduação… resolvi não pensar nos meus afazeres, afinal, se quisesse mesmo fazer o curso ia ter que dar uma pausa nas minhas atividades, fosse agora ou fosse em qualquer momento futuramente. Resolvi me jogar com tudo e pensei:” Já perdi uma chance, não vou perder outra. Vou fazer minha parte e seja o que Deus quiser, se for para ser vai ser.”

    Outros colegas também foram contemplados, e nem todos iriam fazer o curso. Se todos passassem a empresa ia escolher quem iria. Então eu tinha dois desafios: passar na entrevista e ser escolhida pela empresa. Mandei a ficha e fiz a entrevista. 

    O Empretec é cheio de mistérios, quem já fez não conta o que acontece na entrevista ou no seminário, como participante você concorda com o que chamo de “termo de sigilo”, portanto só contarei aquilo que posso contar. 

    Fui para a entrevista sem noção de como seria, ninguém conta. Só contarei que é “tenso”, é “puxado”. E só conto pois, se alguém tivesse me contado pelo menos isso, já ajudaria. Conto isso, pois, se você for selecionado para a entrevista e não passar, esteja ciente de que é mais comum do que você pensa, não se desespere.

    Passei na entrevista, mas não sai de lá feliz, saí inquieta. Cada pergunta retumbava na minha cabeça, entrei num processo de questionamentos internos e aí concluí: o Empretec já começou, e começou dentro de mim! 

    Mas eu ainda tinha que vencer o segundo desafio, ser escolhida pela empresa dentre os colegas. E para minha surpresa fui a única a passar na entrevista, então finalmente eu iria fazer o Empretec depois de 11 anos de sonho!

    Conto isso para dizer para você, caro leitor que tem um sonho: acredite em seu sonho, mesmo que demore muito tempo para realizá-lo, mesmo que ainda não seja possível transformá-lo em meta. Tenha fé, tenha paciência, o tempo vai passar de um jeito ou de outro e seu momento vai chegar. Quando a oportunidade chegar e você souber em seu coração que é o momento, abrace a oportunidade, mesmo que ela não seja exatamente como você queria, encare-a, vença os desafios e seja feliz realizando seu sonho!

    O post ficou grande e nem comecei a contar do seminário em si.

    Farei um novo post e colocarei no ar assim que terminar, não vou demorar pois estou postando em tempo real!

    Até mais!

     

     

     

    Share Button

    Deixe uma resposta