• Vida Aprendente
  • 10 Dicas de Planejamento para Professores

    Imagem
    Imagem

    Este post é uma sugestão de uma leitora e é especialmente para os leitores professores que me acompanham aqui no blog.

    Eu amo planejamentos, mas sei que muitos professores não gostam nem de falar sobre o assunto e até entendo o motivo. Pelo que percebi em minha rotina de professora, falar sobre planejamento é considerado algo chato, transmitido de forma maçante, geralmente em reuniões e associado à cobrança e obrigação. O que estou querendo dizer é que muito professor tem antipatia pelo assunto planejamento por ele ser tratado de forma errada, como uma ordem a ser cumprida e não como algo que facilita seu trabalho.

    Gostaria de compartilhar aqui o planejamento que funciona para mim. Pode ser que não funcione para você, pode ser que a instituição em que você trabalha já tenha padrões a serem seguidos, mas creio que, trocando ideias, você possa adaptar para sua realidade e criar seu modelo, o modelo que funcionará para você.

    1 – Comece organizando-se

    Planejamento e Organização “andam de mãos dadas”. Não há como fazer planejamentos eficientes sem antes nos organizarmos. Sugiro então, que primeiramente você organize seu material: papéis, pastas, cadernos, livros, enfim, todo seu material escolar. Tenha um local específico para guardá-lo, eu, por exemplo, tenho em casa uma prateleira de um armário onde concentro tudo que uso na escola e que deixo guardado em casa. Pode ser uma gaveta, uma caixa, ou um cantinho de sua mesa de trabalho: o importante é concentrar seu material todo no mesmo local, isso facilita no momento em que você for parar para planejar suas aulas, terá todo material em mãos.

    2 – Dia do Planejamento Semanal

    Escolha um dia da semana para ser o dia do seu planejamento de aulas semanal. Sei que algumas escolas disponibilizam horários para planejamentos de aula, mesmo assim, gosto de ter o meu dia específico para planejamento. Isso ajuda a criar um compromisso de planejar: “hoje é tal dia da semana, é dia de planejar as aulas”. E não necessariamente você vai ocupar o dia todo com planejamento, bastam algumas horas de dedicação. A tendência é as horas de dedicação irem diminuindo à medida que essa rotina vire um hábito

    3 – Organização Integrada

    Geralmente os professores trabalham em mais de uma turma, em mais de uma instituição, em mais de um curso e lecionam mais de uma disciplina/matéria. Isso rende muito material, muita papelada e muitos horários a serem seguidos e conciliados. Sugiro algo que estou chamando de organização integrada, consiste basicamente em juntar todas as informações das aulas em uma única caixa de entrada: uma agenda, um planner, uma planilha do excel, uma pasta com papéis, um caderno, enfim: quando você pensar em informações do trabalho, que esteja tudo centralizado em um único lugar. Se não for possível uma única caixa de entrada, pode usar mais de uma, mas que estejam sempre juntos, por exemplo, caderno e agenda; caderno e planilha de excel.

    4 – Cronograma Semanal de Trabalho

    Ainda nessa lógica de organização integrada, sugiro a criação de um único horário de aulas semanal. Cada turma tem seu horário de aulas, então, como esses horários em mãos, comece a preencher um horário colocando onde você dá aula em determinado dia e horário, mesmo de turmas e escolas diferentes. Use cores para diferenciar, criando uma legenda. É super fácil de fazer e evita confusões de ficar pegando horário por horário de cada turma para saber para onde você vai. Isso ajuda muito na hora de fazer o planejamento semanal: você visualiza onde trabalhará naquela semana e o que precisa preparar primeiro. Caso queira um modelo, me conte nos comentários que providencio!

    5 – Visão Sistêmica: do Macro para o Micro

    Visão sistêmica é a visão do todo. Para planejar uma única aula você precisa ter visão de um todo, de todo o conteúdo programático daquela disciplina. Então estou chamando o planejamento da aula de micro e o planejamento geral como macro. Comece seu planejamento pensando no que vai fazer de modo geral. Leia o conteúdo programático da disciplina, depois trace seu plano de ensino determinando quantas aulas trabalhará cada conteúdo e por último faça seu plano de aula detalhando como trabalhará cada conteúdo. Os nomes dos documentos que citei (Conteúdo Programático, Plano de Ensino e Plano de Aula) podem ter outra denominação de acordo com cada escola. Caso você não entenda a lógica desse item, pode deixar nos comentários que esclareço ok?

    6 – Verifique se há modelos padronizados

    Verifique nas instituições que você trabalha se há algum modelo pronto, padronizado ou pré-estabelecido de planejamentos a serem preenchidos. Geralmente tem formulários que lhe dão um norte para fazer seus planos, facilitando seu trabalho. Caso não tenha, você pode criar o seu e ir adaptando até chegar num modelo ideal.

    7 – Planejamento geral da Disciplina

    Depois que você tem uma visão sistêmica da disciplina que ministrará, ou seja, uma visão geral, é hora de começar a esboçar suas primeiras ideias, fazendo um planejamento geral. Chamarei esse planejamento geral de Plano de Ensino, pode ser que na sua escola tenha outro nome, ou pode ser que já exista um modelo pré-definido a ser seguido ou até mesmo o Plano de Ensino já venha pronto. De qualquer forma alguns itens devem ser observados na criação ou no preenchimento de um plano de ensino, como:

    Dados da Disciplina: nome da disciplina/matéria, carga horária, quantidade de aulas, data de início e data de término, turma, objetivo da disciplina.

    Dados do Conteúdo: nome do conteúdo a ser trabalhado, quantidade de aulas para trabalhar este conteúdo, métodos de como trabalhar este conteúdo.

    Dados Avaliativos: formas de avaliação e exercícios de fixação, distribuição de pontos, datas previstas para trabalhos e provas.

    Capacidades a serem trabalhadas: Quais capacidades serão trabalhadas em cada conteúdo e na disciplina como um todo, contemplando capacidades sociais, organizativas e metodológicas.

    Lembrando que o Plano de Ensino é um documento que é atualizado constantemente, a medida que as aulas são executadas ele deve ser revisto, para que você vá replanejando as aulas seguintes.

    8 – Planejamento das aulas

    Uma vez elaborado o Plano de Ensino, fica muito mais fácil elaborar o Plano de Aula. No plano de ensino você já determinou quantas aulas estão previstas por conteúdo e os métodos que vai utilizar para dar as aulas, em síntese. Agora é determinar as primeiras aulas, referentes ao primeiro conteúdo. Suponhamos que você determinou seis aulas para um conteúdo e você ministra dois ou três horários seguidos por turma. Faça um planejamento para esses horários seguidos duas aulas ou três aulas do dia. (Pedagogas não briguem, sei que o ideal é fazer por aula, por horário, mas estou dizendo o que funciona para mim, vida real).

    Outra dica é não planejar só o que fará no dia, mas nos dias seguintes também. Eu gosto de planejar pelo menos um conteúdo todo, que já está planejado em linhas gerais no plano de ensino. Se previ seis aulas para este conteúdo, já faço plano de aula dessas seis aulas. Isso reduz a minha ansiedade (se a aula correu mais rápido que o previsto já entro com a aula seguinte), a ansiedade dos alunos (eles testam se você tem planejamento e tem curiosidade de saber a aula seguinte), facilita alguma possível substituição (caso você precise faltar seu planejamento estará pronto) e facilita a flexibilidade do trabalho (se perceber que algum assunto precisa de maior atenção, que a turma precisa de novas estratégias para aprender, dá para replanejar o que está pronto).

    Assim como no caso do Plano de Ensino, alguns itens devem ser observados na criação ou no preenchimento de um plano de aula, tendo a escola um modelo a ser seguido ou você tendo que criar o seu:

    Dados da aula: Número da aula, data da aula, (horário da aula, talvez), tema da aula.

    Ensino: Estratégias de ensino, material específico, recursos didáticos usados, forma de avaliação da aprendizagem.

    Observações: (algum lembrete como entregar provas, imprimir exercício, pedir para trazer calculadoras na aula seguinte, etc.)

    9 – Preparação do material

    Ao realizar o plano de aula você já consegue perceber se precisa de algum material específico que você precise preparar e levar no dia da aula como cartolinas, folhas de papel, impressos, material em mídia (vídeo, slide de power point, imagens) ou que precise agendar na instituição como salas e laboratórios, recursos didáticos como data-show, computador, caixa de som, microfone, etc.). Prepare-se e deixe seu material físico organizado num local específico, como vimos na dica 1. Minha sugestão aqui é ter um “plano B” engatilhado. Se não conseguir algum material (já aconteceu de encomendar e não chegar à tempo), ou algum agendamento (já aconteceu de não ter o recurso disponível por falha da instituição) você tem que ter outra solução que substitua, ou uma outra aula planejada, de preferência a seguinte para não atrapalhar o andamento da turma.

    10 – Planejamento diário

    Se você fez o dever de casa, tirou um dia da semana para se planejar e está com plano de ensino e plano de aula das próximas aulas em mãos, o planejamento diário será o mais fácil de todos. Do contrário, seria o mais difícil: o sentimento de “entro em sala de aula daqui a pouco, não planejei nada, não dá tempo de planejar, preparar material nem se fala, não sei o que fazer!” Já vi acontecer com colegas de trabalho e prefiro fazer o dever de casa para não correr esse risco. Minha dica aqui é reler o planejamento da aula um pouco antes ou assim que entrar na sala, antes de fazer a chamada (pedagogas, novamente peço para que não briguem, mas realidade de quem tem muitas turmas, de vez em quando eu faço isso sim, quase sempre para ser sincera, vida real, me desculpem). Crie um ritual: no início de cada aula, entro na sala, já preencho o diário, faço a chamada e me concentro para começar o trabalho. Faço isso todos os dias em que dou aula, assim, consulto meu planejamento e não deixo de fazer chamada e preenchimento do diário que deve ser feito todos os dias. Se deixo para depois, acabo esquecendo, então melhor investir uns minutinhos no início da aula. No final da aula, faço anotações que serão úteis na próxima, naquele campo de observações, por exemplo: Não terminamos o exercício ou Já adiantei aula seguinte até tal assunto.

    Gente, planejamento nunca é igual a realidade. Mas ele norteia muito a realidade. No mais, se você professor, planeja sua aula, com o passar do tempo vai ficando fera, com planos cada vez mais precisos e certeiros e com menos necessidade de dedicar muito tempo no ato de planejar.

    O Post ficou grande, mas espero que seja útil!

    Me conte nos comentários se o post ajudou e se você tem alguma forma específica de planejar suas aulas, assim podemos trocar ideias, somar experiências e ajudar outros professores que podem ler os comentários futuramente.

    Ah! E se você gostar deste tipo de post para professores, me conte aqui que farei outros com prazer!

    Até mais!

     

     

     

     

    Share Button

    Deixe uma resposta