• Vida Bela
  • Administrando a vida em 2016

    Imagem
    Imagem

    Olá, caro leitor!

    Voltei de férias! Graças à Deus com energias renovadas para mais um ano de trabalho aqui no blog administrando a vida e com saudade de postar aqui para você! E você, sentiu falta do blog? E como foi seu Natal? E sua virada de ano novo? Espero que tenham sidos bons momentos!

    De volta ao blog, quero desejar um feliz ano de 2016 para você, que seus sonhos se realizem, que você administre cada vez melhor a sua vida nesta neste novo ano que se inicia! E que possamos continuar juntos aqui!

    Normalmente, no início do ano as pessoas fazem “promessas” e “listas” de desejos e de coisas que querem realizar durante o ano. Gostaria de alertá-lo pois isso pode ser uma armadilha.

    Pode ser que funcione para alguns, mas para mim, definitivamente não funciona. Já até tentei fazer como a maioria das pessoas fazem: peguei uma folha e escrevi tudo que fui lembrando que eu queria fazer durante aquele ano! Ao ver a lista enorme, bateu uma dor no peito, meu inconsciente já sabia que eu não iria realizar tudo, não naquele ano e não sem transformar aqueles sonhos em objetivos e em metas realizáveis, e o resultado foi frustração.

    Eu vejo muitas pessoas caindo nessa armadilha: aquele entusiasmo próprio de ano novo acaba se transformando em ansiedade logo logo, ouso dizer até antes do carnaval… basta olhar quantos youtubers postaram vídeos com tema “minhas metas para 2016” mas que não são metas, de fato, pelo menos não do ponto de vista técnico.

    Se você fez sua “listinha para 2016”, não se desespere! Vou dar algumas dicas aqui para corrigi-la, para que se torne eficiente e traga resultados alcançáveis. Se você não fez, podemos fazer do jeito certo.

    Particularmente, não estabeleço minhas metas nem no início do ano e nem por ano! Então a Anna Carolline do Administrando a Vida não tem “listinha para 2016?” Não, leitor. Não tenho!

    Gosto de pensar e repensar nos meus objetivos e metas no mês de outubro, no início do último trimestre do ano, quando a maioria das pessoas (talvez aquela mesma maioria que fez a listinha há dez meses atrás, no início do ano) já está cansada, está “empurrando resto do ano com a barriga” e adiando as “metas” não realizadas para  o ano seguinte.

    Então, começo a planejar o ano seguinte três meses antes, em outubro, e para mim tem funcionado. Seguindo esse raciocínio trimestral, planejo um projeto importante (só um) para cada inicio de trimestre, e ao final eu reviso como está o andamento, se terminei antes, já antecipo o próximo, se não terminei  continuo nele mas já encaixo o próximo, o do novo trimestre. Então fica assim:

    O ano tem 12 meses, portanto 4 trimestres. Portanto, pense para os próximos 12 meses, independentemente do mês que você estiver lendo este post, 4 projetos importantes que você queira realizar.

    Um projeto, segundo o PMBOK, é um empreendimento, um esforço temporário com início e fim definidos. Há projetos que demoram anos e anos para serem concluídos, mas percebi que para meus projetos pessoais três meses é um bom tempo para dar uma guinada e revisar/avaliar o andamento.

    Projeto 1: mês 1(agora), mês 2 e mês 3

    Projeto 2: mês 4, mês 5 e mês 6

    Projeto 3: mês 7, mês 8 e mês 9

    Projeto 4: mês 10, mês 11 e mês 12

    O importante é começar um projeto  imediatamente, o mês 1, é o mês vigente, é o agora! Sem perder a visão de longo prazo, nesse caso de 12 meses, de 1 ano. Mas você pode fazer essa previsão também para médio prazo (5 anos) e longo prazo (10 anos).

    Eu por exemplo comecei 2016 no meu projeto 2, previsto para começar em janeiro mas que consegui começar em dezembro e previsto para terminar em março, quando iniciarei, se Deus quiser, o projeto 3.

    Venho aprimorando esse método desde 2008, vou me abrir com vocês e exemplificar fatos reais e muito pessoais, por favor, não me julguem, por favor! Começou a dar certo em 2009, exceto o ano que resolvi fazer a bendita “listinha” e aí não deu (acho que eu queria fazer mais de quatro coisas importantes e aí fui traída pela minha ansiedade).

    2008: Terminar a faculdade, entregar monografia, completar horas complementares, realizar um projeto no meu emprego. Nesse ano eu ainda não tinha a técnica do trimestre, mas já comecei a perceber 4 realizações e ainda comecei a namorar meu marido!

    2009: Aproveitar as solenidades de formatura, mudar de emprego, ficar noiva, ano sabático de estudos (descansei um ano antes de começar a pós).

    2010: Dedicar ao emprego novo, fazer pós-graduação, preparar o casamento. Aqui só foram 3 projetos, porém os três demoram mais de três meses e o ano foi bem apertado.

    2011: Realizar um projeto no trabalho, emagrecer com saúde (reeducação alimentar), fazer cirurgia, me casar e viajar em lua de mel. Aqui foram cinco, apertei um pouco para fazer um projeto à mais.

    2012: Adaptar-me a vida de casada, construir minha casa. Só dois projetos, mas tive contratempos no início da construção e construir minha casa foi um projeto a longo prazo, com previsão de 10 anos. Nesse ano ainda trabalhei em outra cidade por três meses e foi uma oportunidade única.

    2013: Terminar o primeiro andar, mudar para a casa nova, fazer um curso e fazer uma viagem. Realizada a primeira etapa do projeto de longo prazo, a construção da casa. Aqui ainda ganhamos nossa cachorrinha de estimação, projeto do marido que acabou sendo meu também!

    2014: Fiz a “listinha” enoooorme… poderia listar o que eu não fiz, aprendi a lição! A única realização foi a laje no segundo andar, segunda etapa do projeto de construção da casa.

    2015: Ano de crise no país e ano bem instável na minha vida profissional e na do marido. Foi mais de aprendizado do que de realização, mas faz parte, não é verdade? O projeto 1 fazer outra pós-graduação, o 2 foi fazer um curso, o 3 a inauguração do blog (uhull), o 4 construir o muro, mais uma etapa da construção.

    Em outubro conto para vocês os de 2016, ok? O um já está em andamento em março conto aqui também! Mas, oh, quero ver se vocês vão me lembrar, hein?

    Notem que cheguei nos 4 projetos de 3 em 3 meses sendo que alguns projetos podem demorar mais ou menos que três meses e podem acontecer simultaneamente, acaba ficando um pelo outro, uma média: tem anos que dá para realizar mais de 4 projetos, outros menos…

    Não é nenhuma técnica, é o que criei para mim e que deu certo para minha realidade, posso chamar de método Administrando a Vida, kk. Na verdade fui testando várias metodologias como o GTD do David Allen, projeto do PMBOK, tríade do tempo do Christian Barbosa e outros, “bati tudo no liquidificador”e cheguei na metodologia Administrando a Vida da Anna Carolline.

    Se o meu método funcionar para você, fico feliz e peço para você me contar aqui no comentário! Se não, faça suas adaptações e crie seu método, o importante é encontrar o que funciona para você.

    Ah, alguns projetos também dependem de recurso financeiro. Se você estiver sem grana, você pode pensar em projetos menores mas que sejam importante para você como fazer um exercício físico, se alimentar melhor, ler x livros por mês, etc, mas oh: tem que ter prazo, do contrário não é meta. Sugiro que leia a postagem onde explico melhor sobre metas.

    Se você está sem ideia para fazer a divisão dos projetos por trimestre, sugiro que leiam o post, sobre a roda da vida. Você pode associar cada área da vida a um mês do ano, cada quadrante a um trimestre.

    Espero que tenha gostado do post, me senti bem próxima de você contando da minha vida (#fiquietimidaagora), lembrando que minhas realizações fazem sentido para mim e são importantes para mim, o que é bem pessoal, cada um sabe o que é importante de acordo com seus objetivos de vida. Também tem um post falando de objetivos, leia lá!

    Me contem aqui se estão animados com os projetos de vocês!

    Até mais!

    Share Button

    Deixe uma resposta