• Administrando a Vida
  • Como definir metas de vida?

    Imagem

    Imagem

    Particularmente, acho difícil separar objetivos de metas, muitas pessoas consideram até como palavras sinônimas apesar da diferença ser bem sutil. Quando falamos em objetivos automaticamente precisamos falar de metas, os dois andam de mãos dadas: Do que valem objetivos de vida sem as metas? Não serão realizados com eficiência… E do que valem metas sem objetivos? Serão realizadas desnecessariamente e  sem clareza de propósito…

    Portanto, na postagem anterior, falamos de objetivos de vida e agora vamos falar mais sobre metas. Para atingirmos objetivos de vida precisamos de administração, ou seja, precisamos de dirigir, planejar, organizar e controlar nossos objetivos através das metas.

    Dirigir: saber quais objetivos de vida você deseja realizar em cada área da vida;

    Planejar: elaborar seu plano de ação, para realizar etapa por etapa com prazo determinado até atingir seu objetivo;

    Organizar: preparar-se para a realização, agendar datas para realizações e acompanhamentos, definir prioridades;

    Controlar: saber que só você pode controlar o andamento das etapas rumo ao seu objetivo, acompanhar  prazos e realizações;

    Quando definimos nossos objetivos de vida precisamos tornar esses objetivos em específicos, precisamos dividi-los em etapas e transformar essas etapas em metas.

    Então, para definir suas metas, é necessário que você:

    Defina seus objetivos: Defina de um a cinco objetivos principais em cada área de sua vida. Para isso, você pode utilizar a ferramenta roda da vida, pensando em cada área de acordo com a roda, sendo: pessoal, profissional, relacionamentos, qualidade de vida, saúde e disposição, desenvolvimento intelectual, equilíbrio emocional, realização e propósito, recursos financeiros e contribuição social, família, desenvolvimento amoroso, vida social, criatividade, hobbies e diversão, plenitude e felicidade e espiritualidade. Se sentir dificuldade em fazer definir de imediato objetivos em todas as áreas, não se preocupe: faça o que funcionar para você de acordo com sua realidade, mas faça pelo menos os objetivos de uma área da vida.

    Defina as etapas de cada objetivo: Se seu objetivo for grande ou complexo ou demandar muito tempo para ser realizado, divida-o em etapas. Etapas são como fatias de um bolo, não dá para comer um bolo todo de uma só vez, é preciso fatiá-lo e saborear a primeira fatia. Ou como um pacote de pipocas, onde não dá para colocar tudo na boca de uma só vez, mas de punhados em punhados de grãos, comemos o pacote todo e ainda ficamos surpresos ao final do pacote.

    Defina as metas: Transforme seu objetivo em meta, seu objetivo precisa ficar claro para você, é até redundante o objetivo precisa ser objetivo. Use o critério SMART: eSpecífico, Mensurável, Atingível, Relevante e Temporal.

    Comprometa-se com você mesmo: Escreva seus objetivos e metas. Escreva os prazos que você colocou para cada meta, escreva em sua agenda a data de realização de cada etapa e crie um compromisso com você mesmo. Segundo Lair Ribeiro, “coisas importantes vão para o papel”. Quando você olha para suas metas por escrito, você sente-se cobrado no bom sentido, sente-se comprometido com você mesmo.

    Etapa imediata: Seja qual for seu objetivo, o primeiro passo precisa ser imediato. Agende a primeira etapa para hoje e execute hoje, ou pelo menos comece a executar hoje! Começar nos tira da inércia e faz com que caminhemos em direção a realização de cada etapa, de cada meta, de seu objetivo maior.

    Iniciativa e terminativa: Realizar metas envolve início, meio e fim. Alguns param no início, outros param no meio, outros param no fim. Quando você tem iniciativa, marcando a data inicial da sua etapa imediata e tem terminativa, marcando a data final da última etapa rumo a sua meta, você consegue acompanhar a distância que falta para você atingir sua meta, para atingir seu objetivo maior.

    Acompanhamento: Com suas metas escritas, com suas etapas agendadas e comprometido com você mesmo, é preciso acompanhar a execução diariamente. Esse acompanhamento envolve ajustes, caso seja preciso corrigir a rota, mudar algo que foge ao seu controle, rever prazos. Envolve também a capacidade de persistir ou de recomeçar, caso seja necessário, em outras palavras, perseverança!

    “A vitalidade não se revela na capacidade de persistir, mas também na de começar tudo de novo” Scott Fitzgerald

    Até mais!

     

     

     

    Share Button

    Deixe uma resposta