• Administrando a Vida
  • Como dirigir minha vida?

    Como direcionar minha vida
    Imagem

    Todos nós, em algum momento da nossa vida, já nos pegamos pensando: “Como dirigir minha vida?”. Convenhamos que é uma pergunta muito profunda da qual a resposta não é simples.

    A questão é que não nos fazemos essa pergunta apenas uma vez na vida, mas em vários momentos, principalmente quando sentimos que algo precisa mudar.

    Dirigir é uma das quatro funções do administrador segundo Peter Drucker como podemos ver na postagem Administrando a Vida. Em minha opinião, é a primeira função da sequência dirigir, planejar, organizar e controlar, conforme escrevi na postagem Direção, Objetivos e Metas.

    Quando pensamos em direção, podemos pensar em um motorista dirigindo um veículo, num pedestre caminhando pela rua ou pela estrada, num diretor de uma empresa executando seu trabalho. Eu, particularmente, quando penso em direção, me imagino andando, olhando fixamente para frente, para longe, para o horizonte. E você, o que imagina quando pensa em direção?

    Gosto muito de uma frase do escritor Augusto Cury que diz que “os nossos maiores problemas não estão nos obstáculos do caminho, mas na escolha da direção errada.” 

    A escolha da direção certa está totalmente ligada ao meu objetivo, a onde quero chegar.

    Alguns autores da área de administração trazem a palavra direção associada a liderança ou até como sinônimas e particularmente, para mim faz todo o sentido.

    Só posso dirigir minha vida, se sou líder da minha vida. Assumir a liderança, assumir a direção envolve responsabilidade e atitude. É preciso ter consciência de que “eu sou responsável pelos meus atos, pelas minhas escolhas, pela minha vida.” Pessoas bem sucedidas são pessoas que assumem responsabilidades pelos seus erros e pelos seus acertos, pelos seus sucessos e pelos seus fracassos.

    É o que chamamos de ponto de controle interno ou locus interno. Dirigir minha vida depende de mim, e não do outro. Quantas pessoas nós conhecemos que tem o ponto de controle no outro? Vivem mais para o outro do que para si mesmas:pessoas que querem agradar o outro ou que esperam o reconhecimento do outro, seja o cônjuge, seja o patrão, seja o líder religioso, seja o amigo e que, às vezes não se valorizam, não agradam a si mesmas. Ressalto que não tenho nada contra pessoas agradáveis, a questão é a terceirização da vida de acordo com o gosto do outro e não do próprio gosto da pessoa.  Você deve conhecer pessoas que se justificam, que reclamam, que dão desculpa e que não mudam suas atitudes: a culpa é sempre do outro, é sempre de algo externo: é a presidenta, é o governo, é a economia, é o patrão, é o vizinho, etc.

    Pessoas assim, não assumem a responsabilidade de mudar o que pode ser mudado. Só posso mudar a mim mesmo, não posso mudar o outro. Só posso mudar o que está dentro (ponto de controle interno) não posso mudar o que está fora (ponto de controle externo).

    Quando assumo a liderança da minha vida com responsabilidade, me colocando como protagonista da minha história de vida, algo incrível acontece: percebo que tenho poder para mudar a minha vida para melhor!

    Você se considera como protagonista da sua história de vida? Você assume o papel principal do teatro da vida ou é coadjuvante ou figurante?

    Se você ainda não se assumiu como protagonista da sua história de vida, isso pode ser mudado imediatamente, basta mudar seu pensamento, e consequentemente, mudar suas atitudes daqui para frente.

    Retomemos a pergunta do título: Como dirigir minha vida?

    Sugiro que você primeiramente que você faça uma pausa para essa profunda reflexão. Durante esta pausa perceba em quantas coisas você pode pensar, em quantas respostas possíveis e até aparentemente impossíveis para essa questão. Perceba que quem quem dirige, dirige com um destino, dirige para chegar em algum lugar. Pense onde você está? E onde você quer chegar? Você está no caminho certo? Ou é preciso mudar de caminho, corrigir rotas, mudar de direção?

    Pense onde você quer chegar, descubra onde você quer chegar! Não se preocupe se a resposta não for imediata, apenas tenha foco, continue buscando a resposta e ela virá, pois ela está dentro de você! Como líder de sua vida, você vai saber onde quer chegar, e, consequentemente, vai saber qual direção tomar. Não se preocupe também se errar o caminho, você pode voltar, tenha persistência e volte, recomece!

    Pense também, sobre o ponto de controle interno: você é o responsável por suas escolhas, e não o outro! Apenas você pode ser líder de si mesmo quando o assunto é a sua vida! Algo que nos atrapalha muito quando estamos buscando nossa direção é a comparação. Jamais se compare com o outro, cada ser humano é único. Compare-se com você mesmo, como você era antes, como você é agora e como você pode ser no futuro, no intuito de ser a melhor versão de você mesmo.

    O ditado popular “a grama do vizinho é mais verde” nos mostra o quanto o ponto de controle externo é prejudicial, pois pressupõe que sempre vai ter alguém mais bonito, mais rico, mais bem sucedido, com melhores resultados, etc. Não há porque se comparar pessoas, pois todos nós somos diferentes, cada um é único, cada um constrói sua história de vida trilhando por diferentes caminhos.

    Aproveite também a pausa de reflexão para estabelecer seus objetivos de vida e suas metas para atingi-los.

    Por fim, dê o primeiro passo! Reflexão sem ação é ilusão, só pensar na vida não nos leva a lugar algum. É preciso agir, é preciso ter atitude, é preciso ter coragem! Grandes caminhadas começam com o primeiro passo!

    E lembre-se que a resposta está dentro de você! Dirigir sua vida depende de você! Você é o o próprio líder de sua vida, faça acontecer!

    Na próxima postagem continuaremos a falar de objetivos e metas.

    Até mais!

     

     

     

     

    Share Button

    Deixe uma resposta