• Administrando a Vida
  • Administrando a vida

    Administrando a Vida
    Imagem

    A palavra administrando aparece propositalmente escrita no gerúndio no nome do blog.

    O gerúndio é uma forma nominal do verbo administrar, ou seja, não possui flexão de tempo e modo. A principal característica do gerúndio é que ele indica uma ação contínua, que está, esteve ou estará em andamento, ou seja, um processo verbal não finalizado.* (http://www.infoescola.com/portugues/gerundio/)

    A palavra vida, por sua vez, é um substantivo feminino. Vida significa existência. É o estado de atividade incessante comum aos seres organizados. É o período que decorre entre o nascimento e a morte. Por extensão, vida é o tempo de existência ou funcionamento de alguma coisa. A palavra vida tem um conceito bastante amplo e pode ter vários significados dependendo do contexto onde é inserida.*(http://www.significados.com.br/vida/).

    A palavra administrando sugere que o verbo administrar está em andamento, quer dizer que independente de ter ou não conhecimento em administração, estamos automaticamente administrando a vida.

    Querendo ou não, tendo consciência ou não, estamos neste momento e independente de nossa vontade administrando a vida, e é algo contínuo. E a vida está acontecendo. Cabe a você administrá-la para que ela seja melhor vivida.

    O que é administrar?

    Você sabe o que é administrar?

    Eu preferi não pensar na palavra administrar numa visão apenas de um estudante de administração ou de um profissional da área. Minha intenção não é trazer para você um texto acadêmico ou complexo. Eu preferi pensar de um jeito novo, pensando no propósito do blog de que, todos nós, inclusive leigos, administramos a vida de alguma forma, em alguma situação.

    Diante deste contexto, o que é vem a ser administrar, afinal?

    Tomemos como base um conceito de CHIAVENATO, Idalberto (2004), que nos diz que administrar é a tarefa da administração, que, por sua vez, é o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar o uso de recursos (humanos, financeiros e materiais) a fim de alcançar objetivos.

    Quando nos referimos ao ato de administrar, estamos nos referindo a um conjunto de ações: planejar, organizar, dirigir e controlar, que são as chamadas “funções” do administrador, segundo Henry Fayol (1930) em sua teoria clássica. A teoria neoclássica (1950) através de Peter Drucker acrescentou a essas funções os “objetivos” do administrador: trabalhar com eficiência e eficácia. Herbert Simon (1989) afirma que o papel do administrador é, essencialmente, tomar decisões.

    Administrar é uma ciência. Administrar a vida é uma arte!

    Como nosso objetivo aqui não é nos aprofundarmos muito no assunto, acredito que já dá para termos uma noção, em síntese:

    Funções do Administrador:

    Planejar: É determinar antecipadamente as ações futuras, as atividades que serão desempenhadas, as metas que serão alcançadas. Se você quer realizar algo em sua vida, é importante que você planeje, para avaliar possíveis caminhos que pode escolher, considerando qual é melhor. Se você planeja algo, diminui as chances de dar errado.

    Organizar: Planejar e organizar são ações que andam juntas e às vezes até se confundem ou são vistas como sinônimas, mas não são. Primeiro planejamos, depois organizamos.  Enquanto o planejar é determinar as ações futuras, o organizar é determinar como serão feitas as ações futuras, seguindo determinada ordem, determinada lógica, seja uma sequência ou um sistema criado para facilitar as ações.

    Se você planeja realizar algo em sua vida, deve então organizar como vai fazer para realizar o planejado, de forma que ganhe tempo e produtividade.

    Dirigir: Depois de planejar e organizar, você precisa dirigir, que pode ser coordenar ou liderar dependendo da situação. Se você vai realizar algo sozinho, você vai então coordenar suas ações, se vai realizar com a ajuda de outra pessoas, num trabalho em equipe, você vai liderar as pessoas para que elas realizem as ações de acordo com o planejado e com a ordem estabelecida.

    Controlar: É o acompanhamento das atividades, a fim de garantir a execução do que foi planejado e corrigir possíveis desvios. Costumo dizer que não se controla pessoas, se controla “coisas”, ou seja, atividades, ações, procedimentos. Se você quer realizar algo que planejou, organizou e dirigiu (coordenou ou liderou), você precisa acompanhar, ou seja, ter controle do que está acontecendo.

    Definir em poucas palavras talvez seja mais difícil do que colocar em prática. Vou tentar clarear com um exemplo: é muito comum na internet você encontrar postagens com o título: “ Como organizar seu guarda-roupa” ou algo do tipo. Na verdade, como as quatro funções andam juntas, está intrínseco que, para você organizar seu guarda roupa você também vai planejar, dirigir e controlar e não apenas organizar o guarda-roupa. Vejamos:

    1. Planejar: Você toma a decisão de arrumar o guarda roupa e planeja: que dia vai fazer, que horas vai fazer, se alguém vai te ajudar ou se vai fazer sozinho, quanto tempo vai gastar arrumando e que horas pretende terminar a arrumação.
    2. Organizar: Chegou o dia de “botar a mão na massa”, de executar a ação principal que é arrumar o guarda-roupa, então você pensa como vai fazer: se vai desocupar o guarda-roupa inteiro botando tudo abaixo ou se vai arrumar cada porta de cada vez, ou se vai arrumar primeiro o cabideiro depois as gavetas, ou se vai dobrar todas as peça e redefinir onde ficará cada tipo de roupa, ou seja: isso é organizar! Você vai criar um critério, um sistema, um jeito que for melhor para você.
    3. Dirigir: Se você separou roupas para conserto e roupas para doação, você vai ter que coordenar essas ações: quem vai entregar as roupas para a doação? E quando? Quem vai consertar suas roupas? E quando? Então você encaminha essas roupas e…
    4. Controlar: … precisa acompanhar se as roupas chegaram a seu doador ou doadores e se foram úteis; se as roupas estão sendo consertadas e quando você pode buscá-las. O controle aqui também envolve observar se você está mantendo seu guarda-roupa arrumado, ajudando a você mesmo.

    Clareou? Espero que sim! Vamos em frente?!

    Objetivos do Administrador

    Gosto da definição do Professor Dr. Lair Ribeiro para eficiência (Fazer bem feito) e eficácia (Fazer o que precisa ser feito), pois é simples, clara e objetiva, segundo ele, eficiência é fazer bem feito e eficácia é fazer o que precisa ser feito, portanto: Agir com eficiência e eficácia é fazer bem feito aquilo que precisa ser feito. Tomemos o exemplo anterior, podemos fazer uma pergunta antes de realizarmos algo:

    Arrumar o guarda-roupa é algo que precisa ser feito?

    Se a resposta for sim, então faça bem feito!

    Papel do Administrador:

    O papel do administrador é, essencialmente, tomar decisões. Tomemos novamente o exemplo anterior, tudo começa com a decisão de arrumar o guarda roupa, parece óbvio, mas, não é. Quantas vezes nós pensamos: “Tenho que arrumar meu guarda-roupa…”, mas não queremos realmente fazer isso, inconscientemente deixamos para depois, um depois que não sabemos quando será. Isso fica na nossa cabeça, ocupando espaço em nossa mente e vem à tona no momento em que olhamos para o guarda-roupa todo bagunçado, procuramos algo que não encontramos e pensamos de novo: “Nossa, eu tenho que arrumar meu guarda-roupa, ai, ai, ai…” e o desânimo vem junto com o pensamento. Pense comigo: o fato descrito reflete uma tomada de decisão? Se você pensou que não, então estamos no raciocínio certo: até então não houve tomada de decisão. É preciso decidir-se de fato, pensar com convicção e ânimo: Vou arrumar meu guarda-roupa! E partir do planejamento à ação!

    O que é administrar

    Todos nós somos administradores das nossas vidas, pois temos as funções de planejá-la, organizá-la, dirigi-la e controlá-la com eficiência e eficácia e tomamos decisões à todo instante. Administrar é tomar decisões. Viver é tomar decisões. Administrar é viver!

    Share Button

    Deixe uma resposta